Passeio Sénior a Coimbra

                     

» Passeio Sénior a Coimbra, a cidade que tem mais encanto na hora da despedida!

No dia 31 de julho realizou-se o Passeio Sénior de Ramalde à mítica (mas algo decrépita, devemos ser sinceros!) cidade de Coimbra, algo diferente dos tempos da juventude de muitos de nós.

Da parte da manhã, os 250 seniores da Freguesia que ara ali rumaram desde o Porto (cidade em franco progresso), puderam usufruir um passeio de barco  - No “Bazófias”, nome que os estudantes deram então ao rio Mondego, - et pour cause, as suas águas, no verão, eram poucas embora calmas, como hoje, as represas ajudaram muito a equilibrar o seu caudal -, rumando depois para a Quinta das muralhas, na Pampilhosa do Botão, após uma visita livre à cidade e suas maravilhas. Nela e seu espaço exterior muito aprazível, foi servido o almoço e a tarde  foi muito animada num convívio cheio de alegria, animação e de música, seguido de um lanche tipicamente português, Caldo Verde e Bifanas antes do regresso à Invicta.

Foi sem dúvida um dia de reencontro com momentos de muita alegria e confraternização entre todos os participantes.

Já quase no final, o presidente António Gouveia chamou para junto de si toda a equipa da Junta, técnicas e assistentes das IPSS, também a equipa dos Bombeiros Voluntários Portuenses, que acompanharam este grupo com muita dedicação, tendo enaltecido o trabalho e empenho de todos para que tudo corresse bem e para que esta iniciativa fosse um sucesso para  perdurar na memória de todos os cidadãos mais ou menos seniores de Ramalde. A política, disse, é uma forma de estar em sociedade e governação que herdámos da antiga Grécia, há mais de 2.500 anos; o melhor serviço à comunidade, na procura de maior qualidade de vida e de bem-estar, hoje diferente dos tempos de Aristóteles, um dos seus promotores e lutadores, mas que, por ser bem difícil, apesar da democracia, palavra inventada nesse tempo, continua a precisar da colaboração de todos – todos somos políticos, governantes e governados, estes com o seu poder de reivindicação e seleção dos melhores a eleger - para que esta continue a melhorar num tempo em que os políticos são olhados de soslaio e menos bem vistos ou apreciados, na teimosia generalizadora que não deixa nenhum de fora, o que é, disse ainda, uma injustiça para quem dá o seu melhor e faz da política  espírito de entrega aos outros e (quase) missão, sobretudo os menos desamparados, também desfavorecidos pela sorte que quase não podem sair de suas casas na últimas etapa e curva da vida. Também por eles existimos e damos o nosso melhor, finalizou, agradecendo a todos terem anuído ao convite e iniciativa da junta de Ramalde.

Por cá, na Junta, ficamos todos, sem exceção, já a preparar as próximas atividades e, pelo que pudemos constatar nos rostos e palavras ouvidas, sentimo-nos bem felizes por sermos úteis!

Boas férias a todos!